terça-feira, 15 de abril de 2014

Acertei o craque do Gauchão. Ou quase.

Em outubro do ano passado eu disse quem seria o craque do Gauchão 2014.



Scocco seria o Craque do Gauchão 2014.
E está aqui também. 

Simples, todo o jogador que o Inter contratava, virava "craque" do Gauchão.
Foi assim com Damião, em 2011.
Foi assim com Dátolo, em 2012.
Foi assim com Dalessandro, em 2013 = este foi escolhido pois não tinha jogador contratado recentemente.
Agora, foi o Aránguiz.
Seria o Scocco, se este não tivesse pulado da Barca, "desrespeitando" a Direção do Inter.

segunda-feira, 14 de abril de 2014

Diálogo Tricolor

Pessoal, 
A edição do Diálogo Tricolor, marcada para o dia 15/04, foi transferido para nova data.
Assim que o local e a data forem acertados,  comunicaremos.

Peço desculpas pelo inconveniente e conto com a presença de todos para o próximo evento.


A Anta II

Não sei o que é pior. 
Um jornalista desinformado.
Ou um jornalista de má fé e apaixonado por sua tese.
Ou ambos.
Não dá para aguentar ler um jornalista repetindo uma tese errada.
Tive que ler que Dida jamais perdeu um Grenal, tese já levantada no Jurássico Sala de Redação.
O jornalista esqueceu do Grenal 396.
Ou finge que esqueceu.
E o jornal permite isso.

O que falar?

O que se pode dizer de uma decisão, em dois jogos, em que se toma de 6 x 2? 
E pior, uma decisão em que o Grêmio começou vencendo de 1 x 0, na Arena.
É inadmissível.
É uma vergonha.
Vergonha igual a ver os jogadores do meu time sendo empurrados e puxados pelo pescoço pelo capitão do time adversário e tudo ficar por isso mesmo, como se nada tivesse acontecido.
Onde está a indignação do grupo do Grêmio?
Onde está a vergonha na cara?

E qual é o Grêmio verdadeiro?
O Grêmio que está com uma ótima campanha na Libertadores ou o Grêmio desorganizado do Gauchão?
Reconheço que, até agora, Enderson Moreira vinha fazendo uma trabalho bem promissor.
Mas ele foi catastrófico nos dois jogos das finais.
Mexeu muito mal no time.
E o medo da torcida é que desempenhos ridículos como os de ontem se repitam na Libertadores.
Para evitar isso, é necessário que se diagnostique o que aconteceu com o Grêmio nesses jogos.
Senão, a eliminação será questão de dias apenas.

Para terminar, é para matar o torcedor a entrevista dos dirigentes do Grêmio após o jogo.
Tudo normal, tudo tranquilo.
Uma calma, uma serenidade.
Falta um dirigente que, no intervalo de jogo, saísse chutando todo o vestiário.
Que fizesse os jogadores, ao menos, terem mais vontade dentro de campo.
E que se indignassem em levar 6 x 2 numa final.

domingo, 13 de abril de 2014

Tite

Tite. Tite. Tite. Tite.Tite. Tite. Tite. Tite. Tite. Tite. Tite. Tite. Tite. Tite. Tite. Tite. Tite. Tite. Tite. Tite. Tite. Tite. Tite. Tite. Tite. Tite. Tite.Tite. Tite. Tite. Tite. Tite. Tite. Tite. Tite. Tite. Tite. Tite. Tite. Tite. Tite. Tite. Tite. Tite. Tite. Tite. Tite. Tite. Tite. Tite.Tite. Tite. Tite. Tite. Tite. Tite. Tite. Tite. Tite. Tite. Tite. Tite. Tite. Tite. Tite. Tite. Tite. Tite. Tite. Tite. Tite. Tite. Tite.Tite. Tite. Tite. Tite. Tite. Tite. Tite. Tite. Tite. Tite. Tite. Tite. Tite. Tite. Tite. Tite. Tite. Tite. Tite. Tite. Tite. Tite. Tite.Tite. Tite. Tite. Tite. Tite. Tite. Tite. Tite. Tite. Tite. Tite. Tite. Tite. Tite. Tite. Tite. Tite. Tite. Tite. Tite. Tite. Tite. Tite.Tite. Tite. Tite. Tite. Tite. Tite. Tite. Tite. Tite. Tite. Tite. Tite. Tite. Tite. Tite. Tite. Tite. Tite. Tite. Tite. Tite. Tite. Tite.Tite. Tite. Tite. Tite. Tite. Tite. Tite. Tite. Tite. Tite. Tite. Tite. Tite. Tite. Tite. Tite. Tite. Tite. Tite. Tite. Tite. Tite. Tite.Tite. Tite. Tite. Tite. Tite. Tite. Tite. Tite. Tite. Tite. Tite. Tite. Tite. Tite. Tite. Tite. Tite. Tite. Tite. Tite. Tite. Tite. Tite.Tite. Tite. Tite. Tite. Tite. Tite. Tite. Tite. Tite. Tite. Tite. Tite. Tite. Tite. Tite. Tite. Tite. Tite. Tite. Tite. Tite. Tite. Tite.Tite. Tite. Tite. Tite. Tite. Tite. Tite. Tite. Tite. Tite. Tite. Tite. Tite. Tite. Tite. Tite. Tite. Tite. Tite. Tite. Tite. Tite. Tite.Tite. Tite. Tite. Tite. Tite. Tite. Tite. Tite. Tite. Tite. Tite. Tite. Tite. Tite. Tite. Tite. Tite. Tite. Tite. Tite. Tite. Tite. Tite.Tite. Tite. Tite. Tite. Tite. Tite. Tite. Tite. Tite. Tite. Tite. Tite. Tite. Tite. Tite. Tite. Tite. Tite. Tite. Tite. Tite. Tite. Tite.Tite. Tite. Tite. Tite. Tite. Tite. Tite. Tite. Tite. Tite. Tite. Tite. Tite. Tite. Tite. Tite. Tite. Tite. Tite. Tite. Tite. Tite. Tite.Tite. Tite. Tite. Tite. Tite. Tite. Tite. Tite. Tite. Tite. Tite. Tite. Tite. Tite. Tite. Tite. Tite. Tite. Tite.